Baby É Cadelinha

Wednesday, July 26, 2006

TRADUZIR-SE

Uma parte de mim
é todo mundo:
outra parte é ninguém:
fundo sem fundo.

uma parte de mim
é multidão:
outra parte estranheza
e solidão.

Uma parte de mim
pesa, pondera:
outra parte
delira.

Uma parte de mim
é permanente:
outra parte
se sabe de repente.

Uma parte de mim
é só vertigem:
outra parte,
linguagem.

Traduzir-se uma parte
na outra parte
- que é uma questão
de vida ou morte -
será arte?

Ferreira Gullar

2 Comments:

Blogger O amor fala mas alto said...

Linda poesia,forma perfeita para adimirar,
parabéns e bjs.

10:59 AM  
Blogger Mão Branca said...

Há, fera este poema do Gullar. Adoro quem sabe escolher boa poesia.

6:51 AM  

Post a Comment

<< Home